segunda-feira, 4 de outubro de 2021

MIBE - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

Outubro é o mês por excelência da comemoração das Bibliotecas Escolares.

aqui as atividades que a tua Biblioteca Escolar está a dinamizar ao longo deste mês.




Concurso Melhor Leitor do Mundo

 

Os livros que requisitares na tua biblioteca escolar e leres, entre outubro de 2021 e junho de 2022, podem fazer de ti o Melhor Leitor ou a Melhor Leitora do Mundo.

O PNL (Plano Nacional de Leitura) oferece prémios aos melhores leitores nacionais de 1.º, 2.º e 3.º CEB e ESecundário.

Consulta aqui o regulamento. 

Há um voucher de 500 € à tua espera.

Desafio

 Recolha de Contos e provérbios

Para celebrar o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, a tua Biblioteca convida-te a recolher um conto tradicional ou um provérbio junto de um familiar mais velho. 

Podes entregar o teu trabalho em formato papel, na biblioteca, ou enviá-lo para abibliotecaescolarajuda@soaresbasto.pt

Participa com o número de contos ou provérbios que quiseres. De entre todos os trabalhos entregues será sorteada uma das participações, com a oferta, de um livro ao aluno ou aluna, e de um vaso com uma planta ao/à participante mais velho/a. 

A primeira fase deste desafio acaba já no final de outubro.

sexta-feira, 1 de outubro de 2021

Esopo - autor do mês de outubro


            As únicas informações sobre a sua vida, passíveis de credibilidade, que chegaram até aos dias de hoje são transmitidas por HeródotoPlutarco, mas são tão escassas e até, por vezes, contraditórias que se chega a duvidar da existência de tal personagem.

Segundo uma biografia egípcia do século I a.C., Esopo teria nascido provavelmente na região de Trácia, onde hoje se localiza a Turquia, por volta do ano 550 a.C. Segundo a lenda, ele teria sido vendido como escravo em Samos a um filósofo, que posteriormente lhe teria concedido alforria, a sua libertação.

Viajou pelo mundo, tendo passado pelo Oriente Médio, Egito e Babilónia, o que teria enriquecido o género que inventou. Foi-lhe atribuído um conjunto de pequenas histórias, onde os animais desempenhavam papéis que faziam sentido do ponto de vista moral, ou seja, eles tomavam o lugar dos homens, e viviam os seus dramas comuns.

 A coleção de Esopo era lida no século V em Atenas, uma das épocas de maior efervescência cultural grega. As suas histórias faziam parte da tradição oral, assim como as obras de Homero, por isso, só foram reunidas e escritas 200 anos depois.

Esopo inspirou muitos poetas medievais. As suas coleções de fábulas também influenciaram La Fontaine, escritor e fabulista francês.

As centenas de fábulas da autoria de Esopo incluem histórias que fazem parte do património de todo o mundo. Na Raposa e as Uvas, a raposa, desdenhando as uvas que não conseguia alcançar, deu origem à moral "É fácil desdenhar o que não se consegue ter" enquanto na Raposa e o Corvo sugere "Nunca confies nos que te gabam demasiado" e na Raposa e a Máscara diz que "O valor do exterior é pobre substituto do valor interior". Em O Galo e a Pérola, em que o animal prefere um grão de aveia à pérola, sugere que "As coisas valiosas são para os que as sabem apreciar". Em O Lobo e o Cordeiro em que o primeiro come o segundo invocando razões inexistentes diz que "A um tirano qualquer desculpa lhe serve". No Cão e a sua Sombra existe a moral de que "Cuidado em não perderes o essencial, ao tentares agarrar a tua sombra". No Leão Moribundo a máxima é "Apenas os cobardes atacam a majestade agonizante". Nas Rãs que Queriam Ter um Rei Esopo sugere que "Mais vale não ter governo nenhum que ter um governo cruel". No Homem Calvo e a Mosca chega à conclusão de que "Quem ataca demais inimigos insignificantes prejudica-se a si mesmo". No Cão e o Lobo o último diz que "Mais vale fraco e livre do que gordo e escravo". Na Fábula A Gata e Afrodite, em que a gata, transformada em mulher pela deusa, se esquece da sua nova condição e corre atrás de um rato para o comer, Esopo viu a seguinte lição: "O perverso pode mudar de aparência, mas nunca de hábitos".

https://www.ebiografia.com/esopo/;https://www.beav.ovh/wp-content/uploads/2020/10/O-Le%C3%A3o-e-o-Rato.pdfhttps://minhaliteraturinha.blogspot.com/2021/01/as-fabulas.html




quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Laura Esquivél - autora do mês de setembro

 


    Escritora mexicana, Laura Esquível nasceu a 30 de setembro de 1950, na cidade do México. Oriunda de uma família católica, manteve, no entanto, desde cedo uma certa abertura de espírito que a levou, na sua juventude, a estudar as filosofias orientais, a praticar a meditação e seguir uma dieta vegetariana. Não obstante, foi grandemente influenciada pela avó, autêntica matriarca da família, que se costumava reunir com as mulheres na cozinha, lugar que Laura Esquível veio a considerar ideal para que o sexo feminino possa partilhar pensamentos íntimos.

    Trabalhou como educadora de infância, mas, dada a escassez de materiais didáticos, começou ela própria a escrever peças de teatro para as crianças. Passou depois a contribuir como dramaturga para a cadeia de televisão pública infantil. A ocasião propiciou-se para que pudesse estudar Cinema e, durante a sua aprendizagem, conheceu o ator Alfonso Arau, com quem veio a relacionar-se sentimentalmente. Em 1985 estreou-se como argumentista, com o filme Guido Guán Y Los Tacos De Oro, obra nomeada para o Prémio Ariel da Academia das Ciências e Artes Cinematográficas. Decidiu prosseguir com um novo argumento, mas tendo sido desencorajada a rodá-lo devido à escassez de fundos necessários, optou por convertê-lo ao formato de romance. Surgiu assim Como Agua Para Chocolate (1989, Como Água para Chocolate), romance que conta a história de Tita de La Garza, e cuja ação decorre no princípio do século XX, no Norte do México, à beira da Revolução. Como é tradicional nesse país, Tita, por ser a filha mais nova, não se deve casar, para que possa cuidar da sua mãe na velhice. Um sucesso de vendas considerável e internacional foi traduzido para mais de 30 idiomas e valeu à autora o Prémio American Bookseller Book of the Year. O livro acabou por ser adaptado para o cinema em 1993, com a realização de Alfonso Arau, arrebatando dezoito galardões internacionais.

    Consagrada como escritora, Laura Esquível continuou a produzir obras de ficção, publicando entre outros volumes, os romances La Ley Del Amor (1997, A Lei do Amor), Estrellita Marinera (1999, A Pequena Estrela-do-mar), Tan Veloz Como El Deseo (2002, Tão Veloz Como o Desejo) e El Libro de las Emociones: son de la Razón sin Corazón (2003, O Livro das Emoções), e uma recolha de contos com o título Intimas Suculencias, Tratado Filosofico de Cocina (1998, Íntimas Suculências, Tratado Filosófico de Cozinha).                                                              

                                                                                                 https://www.infopedia.pt/$laura-esquivel


       

terça-feira, 13 de julho de 2021

Aprendizagem Híbrida - modelos

Com vista a ajudar os professores a planificarem de acordo com a aprendizagem híbrida, a BE resolveu criar um documento orientador com dicas e sugestões.

Contem com as Professoras Biblitecárias em caso de alguma dúvida e/ou como parceiro em atividades propostas.


Blended learning - dicas e sugestões

MIBE - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

Outubro é o mês por excelência da comemoração das Bibliotecas Escolares. Vê aqui as atividades que a tua Biblioteca Escolar está a dinamiza...