terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Atividades de Natal - 8º ano


"De sacola e bordão, o velho Garrinchas fazia os possíveis por se aproximar da terra.(...) Metera-se-lhe em cabeça consoar à manjedoira nativa... E a verdade é que nem casa nem família o esperavam. (...) Quando foi a dar conta, passava das quatro. e, como anoitecia cedo, não havia outro remédio senão ir agora a mata-cavalos, a correr contra o tempo e contra a idade, com o coração a refilar. (...) E o pior de tudo é que começava a nevar! (…) Bonito! Felizmente que a Senhora dos Prazeres ficava perto. Se a brincadeira continuasse, olha, dormia no cabido! (…)
Apressou mais o passo, fez ouvidos de mercador à fadiga, e foi foi rompendo a chuva de pétalas. Rico panorama! Com patorras de elefante e branco como um moleiro, ao cabo de meia hora de caminho chegou ao adro da ermida. (…) Entrou no alpendre, encostou o pau à parede, arreou o alforge, sacudiu-se, e só então reparou que a porta da capela estava encostada. (...) Vá lá! Do mal o menos. Em caso de necessidade podia entrar e abrigar-se dentro. Assunto a resolver na ocasião devida… Para já, a fogueira que ia fazer tinha de ser cá fora. O diabo era arranjar lenha.
Saiu, apanhou um braçado de urgeiras, voltou, e tentou acendê-las. Mas estavam verdes e húmidas, e o lume depois de um clarão animador, apagou-se. (…)lembrou-se de ir à sacristia ver se encontrava um pedaço de papel. (…) E teve outra ideia. Era um abuso Era um abuso, evidentemente, mas paciência. Lá morrer de frio, isso virgula! Ia escavacar o arcanho. (…)
A madeira seca do palanquim ardia que regalava. (…) Enxuto e quente, O Garrinchas dispôs-se então a cear. Tirou a navalha do bolso, cortou um pedaço de broa e uma fatia de febra, e sentou-se. (…)
- É servida? A santa pareceu sorrir-lhe (…) e o menino também. (…) diante daquele acolhimento (...) entrou, dirigiu-se ao altar, pegou na imagem e trouxe-a para junto da fogueira.
- Consoamos aqui os três (…) A Senhora faz de quem é; o pequeno a mesma coisa; e eu, embora indigno, faço de S. José.”



Conto “Natal” (adaptado e com supressões)
in: Novos Contos da Montanha, Miguel Torga

Sem comentários:

Publicar um comentário